Professores ocupam Seduc em tentativa de reunião após novos casos de Covid-19 em profissionais de educação do AM

Foto: SEDUC

Um grupo de professores do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Amazonas (Sinteam), da rede estadual, ocupou a sede da Secretaria de Estado de Educação e Desporto (Seduc-AM), nesta quarta-feira (2). Eles denunciam falta de atenção às pessoas que tiveram contato com professores infectados e cobram por uma audiência com o secretário da pasta, Luiz Fabian, para falar sobre o cenário em que estão expostos nas escolas.

A Seduc-AM informou que a disseminação do vírus não acontece no ambiente escolar devido as medidas de prevenção. Em dez dias de testes, mais de 600 professores testaram positivo para Covid-19.

De acordo com a presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Amazonas (Sinteam), Ana Cristina Rodrigues, a categoria já protocolou quatro ofícios em que pediram uma audiência com o secretário da Seduc-AM, mas não tiveram resposta. Com isso, decidiram ocupar a sede da secretaria, nesta quarta-feira (2).

“Os trabalhadores estão sendo obrigados a trabalhar em condições ruins, mas estamos aqui para defender a vida dos trabalhadores, as nossas vidas e as vidas de nossos alunos”, disse a presidente do Sinteam, Ana Cristina Rodrigues. Até a noite desta quarta-feira (2), o grupo de professores ainda permanecia na sede da Seduc-AM.

Em entrevista a Rede Amazônica, o secretário de Educação, Luiz Fabian, disse que a disseminação do vírus não ocorreria dentro da escola, já que todos devem estar usando máscaras, lavando as mãos e obedecendo o distanciamento social. Após a ocupação dos professores da sede, ele disse que os professores agrediram uma servidora e causaram danos patrimoniais.

“Eles invadiram a Secretaria de Educação. O que nós queremos e precisamos é garantir o bem estar de todos. Agora, o que eu percebo por parte do sindicato, é exatamente o contrário. Ele começa a gerar um risco e um perigo aos alunos. Nós estamos estudando junto à Procuradoria Geral do Estado e o Munistério Público Estadual, que medidas nós devemos tomar para garantir a incolumidade dos alunos e professores”, finalizou o secretário.

Na última terça-feira (1º), o Governo informou que, em dez dias de testagem em massa, 2.051 testes foram feitos e 619 profissionais de educação do Amazonas testaram positivo para a Covid-19. Todos os 619 profissionais que testaram positivo foram afastados das escolas para período de isolamento de 14 dias.

Texto: G1/AM