Amazonas não atinge meta do Ideb para o ensino médio desde 2011

A reforma do ensino médio define que as escolas devem passar a oferecer opções de itinerários formativos para os estudantes Agência Brasil

O Amazonas alcançou 3.6 no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) 2019 do ensino médio, conforme dados divulgados nesta terça-feira (15) pelo Ministério da Educação (MEC). Embora tenha apresentado um leve crescimento em relação a 2017, o estado não atinge a meta nessa etapa de ensino desde 2011.

O índice considera a aprovação de alunos e desempenho nas provas de matemática e português. Em todo o País, o ensino médio não atinge nível esperado de qualidade desde 2013. No ensino fundamental, o Brasil atingiu as metas nas séries iniciais, mas falhou nos anos finais.

No ranking do Ideb de estados para ensino médio, o Amazonas figura na 22ª posição. Nos anos iniciais e finais do ensino fundamental, o estado conseguiu superar as metas (veja detalhes abaixo).

Ideb no Amazonas – Ensino Médio

AnoIdebMeta
20072.92.4
20093.32.5
20113.52.7
20133.23.0
20153.73.3
20173.53.7
20193.64.0

Fonte: Ministério da Educação (MEC)

Em 2019, o Ideb do Amazonas para o ensino médio foi de 3.6, enquanto a meta era de 4.0. Em um cenário apenas com as escolas da rede estadual de ensino, o Ideb chegou a 3.5, mas a meta era de 3.8.

Foram calculados os dados de 58 municípios do Amazonas em relação a estudantes do ensino médio da rede estadual de ensino. Dentre eles, 40 cidades tiveram Ideb até 3.1; 18 tiveram Ideb de 3.2 a 4.1; e nenhuma foi superior a 4.2.

Ainda sobre o ensino médio, o número de escolas da rede estadual calculadas foi de 140. Dessas, 51 tiveram Ideb de até 3.1; 56 atingiram de 3.2 a 4.1; 27 alcançaram de 4.2 a 5.1; e apenas 6 escolas atingiram 5.2 ou mais.

Ensino Fundamental

No Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) 2019 do ensino fundamental, o Amazonas ficou acima da meta, tanto nos anos iniciais quanto nos anos finais.

  • Anos iniciais (1 ao 5º ano)

Os dados do Inep apontam que, nos anos iniciais do ensino fundamental (1º ao 5º ano), a rede privada do Amazonas não atingiu a meta proposta para 2019, com avaliação de 7.0, enquanto a meta era 7.1

Na rede estadual, o Amazonas superou a meta geral, com avaliação de 5,8 e meta de 5,2. Na rede municipal, 27,1% atingiu a meta nos anos iniciais.

  • Anos finais (6º ao 9º ano)

Na rede pública para os anos finais do ensino fundamental (6º ao 9º ano), o Amazonas atingiu a meta de 4.3, chegando à avaliação de 4.5. No entanto, apenas 16,4% dos municípios do estado atingiram a avaliação proposta.

Observando apenas a rede estadual, 31,7% atingiram a meta proposta. Na rede municipal, o índice é de 19%. Na rede privada, as escolas particulares não bateram a meta de 6,9 para 2019, ficando em 6,2.

O que é Ideb?

O Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) é um indicador de qualidade do ensino fundamental e do ensino médio. Foi criado em 2005 pelo MEC, que o divulga, desde então, a cada dois anos.

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulga o Ideb de cada escola, município e estado. Além de calcular as médias, o órgão detalha o desempenho das redes municipais, estaduais, públicas e privadas.

Os índices são sempre calculados em três etapas da educação básica:

  • anos iniciais do ensino fundamental (1º ao 5º ano);
  • anos finais do ensino fundamental (6º ao 9º ano);
  • ensino médio.

Como o Ideb é calculado?

O Ideb é um índice de 0 a 10, calculado com base em dois fatores:

  • índices de aprovação/reprovação dos alunos e de abandono dos estudos, medidos no Censo Escolar;
  • notas em provas de português e de matemática no Saeb (Sistema de Avaliação da Educação Básica).

Para ter um bom Ideb, é preciso ter baixas taxas de reprovação e de abandono de estudos, além de resultados satisfatórios no Saeb. Essa avaliação é aplicada sempre no fim de cada etapa escolar: 5º e 9º ano do ensino fundamental, e 3º ano do ensino médio.

O que os alunos de ensino médio sabem de matemática e português?

Analisando as médias nacionais do Saeb (um dos componentes do Ideb), conclui-se que o Brasil está nos seguintes patamares de conhecimento:

Matemática: os alunos são capazes de resolver operações básicas, reconhecer proporções, associar uma tabela a um gráfico e fazer progressões aritméticas. Não conseguem, em geral, determinar probabilidade, calcular porcentagem, resolver uma expressão algébrica ou analisar formas geométricas.

Português: os estudantes têm habilidade para reconhecer uma opinião explícita em um artigo ou um tema de uma crônica, interpretar tirinhas e inferir o sentido de uma palavra em uma música. Apresentam dificuldade em identificar argumentos nos textos, reconhecer relações de causa e consequência, compreender ironia ou humor e detectar a informação principal em reportagens.